segunda-feira, 23 de maio de 2011

Exercícios: imperialismo norte-americano

1- A Guerra de Secessão (1861-1865) foi motivada,entre outras coisas, pelo regime de trabalho nos Estados Unidos.

a)Caracterize os regimes de trabalho no norte e no sul dos EUA ás vésperas da Guerra.
b) De que modo o desfecho da Guerra de Secessão influenciou a industrialização daquele país?

2-correta(s) sobre a Guerra de Secessão dos Estados Unidos.História da Riqueza dosEstados Unidos. São Paulo: Brasiliense, 1983,p.154)
Leia o texto e assinale a(s) alternativa(s)
“Tinha que haver uma luta. Talvez não fosse necessária uma guerra muito longa, que matasse muita gente, mas o desacordo e os ressentimentos tinham que vir. O país se chamava Estados Unidos, mas só no nome, não na realidade. Os estados do sul e do norte trabalhavam de maneira diferente,pensavam diferente, viviam diferente.”
(HUBERMAN, Leo.
01) Ao final da guerra de secessão, foram aprovadas pela União tarifas alfandegárias protecionistas em favor da indústria norte-americana.
02) A principal conseqüência da guerra de secessão foi a adoção nos EUA dos estatutos de igualdade racial que garantiam a punição da discriminação racial.
04) Como previsto no texto, o período de guerra foi de apenas dois anos, com destruição material pouco significativa e pouco mais de 3.000 soldados mortos.
08) No período que antecedeu a guerra, os estados do Sul eram predominantemente agrícolas, escravistas e livre-cambistas e os do norte eram mais industrializados e protecionistas.
16) O estopim para a guerra foi o assassinato do presidente Abraham Lincoln, em um teatro de Washington, por um ativista político industrialista.

3-Nos Estados Unidos, a expansão para o Oeste se completou no final do século XIX. Discorra sobre esse fenômeno histórico no que se refere
a) à questão indígena e à incorporação de terras para a agricultura.
b) ao Oeste, como temática da cultura norte-americana, por exemplo na literatura, no cinema e nos meios de comunicação.
Resposta
A) A expansão norte-americana para o Oeste representou o processo de aniquilação das nações indígenas presentes na região. Ao expandir as fronteiras cada vez mais para o Oeste os colonos, como auxílio das forças militares e das empresas ferroviárias, dizimaram aldeias inteiras, além de destruir completamente os recursos naturais disponíveis para a manutenção dessas comunidades. As terras foram rapidamente ocupadas pelos chamados “desbravadores”, que recebiam amparo legal e material do governo dos EUA (Homestead de 1862). Aos poucos as terras selvagens do Oeste foram incorporadas ao território americano a partir da supostamente “épica” marcha para o Oeste.

B) A expansão para o Oeste é um dos temas formadores da auto-imagem do norte-americano. O cow-boy é apresentado pelo cinema como herói destemido que simbolizaria a ímpeto empreendedor da nação americana. Nos filmes mais antigos as figuras do índio e a do mexicano são apresentadas de maneira caricatural e pejorativa. Na literatura as histórias de mocinhos e bandidos formam o imaginário simplista que reforçam idéias formadoras de um “destino manifesto” na luta entre o bem e o mal. Curiosamente esse maniqueísmo está presente em toda produção cultural dos EUA e ainda determina o tom nas relações entre os governos norte-americanos e as demais nações. Comentários dos professores Claudio Recco e Hélio Moreti para o ALFERES VESTIBULARES de S Paulo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário